O trabalho de gestão de mídias sociais é cada vez menos padronizado e mais personalizado. Trocando em miúdos, a cada dia é mais difícil divulgar estratégias gerais e se torna mais necessário conhecer bem o seu cliente e as necessidades dele para a manutenção do conteúdo.

No entanto, se você é um profissional autônomo que quer estimular a formação de uma imagem positiva nas mídias sociais, algumas dicas podem ser úteis para fazer suas redes espelharem o seu profissionalismo e não se perder nesse mundo de emojis, memes e hashtags. Lá vão:

1. Pessoal x Profissional, é possível uma fusão?

Se o seu perfil (seja ele em que mídia for) tem a intenção primária de divulgar a sua imagem enquanto profissional, aposte em conteúdo segmentado da sua área e em fotos que digam respeito à sua atuação profissional, ou seja, congressos, cursos, meetings, rotina, etc. Até está permitido postar imagens de lazer e família, mas de forma muito ocasional. Digamos, 5% a 10% de todo o conteúdo da sua página pode fazer referência à sua vida pessoal. Afinal, quem segue o profissional até gosta de conhecer a personalidade por trás, mas não faz questão de receber conteúdos de selfies contemplativos diários, por exemplo. Seja prudente.

2. Aposte em conteúdo personalizado

Sabe aquela tentação de pegar uma imagem aleatória de Dia das Mães no Google Images, inserir a logo da sua empresa usando qualquer aplicativo, e postar nas redes ou enviar para todos os clientes? Ignore. Esse tipo de atitude de reciclagem de conteúdo alheio nas mídias não agrega em nada para a sua marca. Se você vai apostar no compartilhamento de conteúdos ou mesmo na lembrança de datas comemorativas, é melhor certificar-se de que é possível produzir um material de qualidade e personalizado. A melhor ideia é buscar ajuda de uma empresa ou profissional qualificado para isso.

3. Priorize análises técnicas a opiniões polêmicas

Independentemente da sua área de atuação (a não ser que você seja político, articulista ou crítico), o ideal é sempre centrar-se nas análises técnicas de fatos que já são realidade na sua área, a divulgar opiniões aleatórias sobre temas polêmicos do cotidiano. Em um perfil profissional, os seguidores buscam confiança por meio de uma figura de referência e, ao mesmo tempo que sua opinião pessoal sobre um assunto ainda não “pacificado” socialmente pode despertar a simpatia de alguns, pode também provocar a sua morte profissional em outro nicho. Importante dizer que defender opiniões aleatórias é diferente de expor valores: se você ou sua marca é contra o racismo, a homofobia, é a favor da igualdade de gênero ou do consumo sustentável, por exemplo, não há problema em posicionar-se (quando houver a oportunidade e ela for conveniente) e deixar isso claro para os seus seguidores, afinal, se as marcas possuem personalidade e são carregadas de ideologias, por que os profissionais autônomos não o seriam?

4. Cuidado com o português!

A atenção com as regras gramaticais vai muito além do mero preciosismo linguístico. A forma como você expõe a sua imagem será automaticamente relacionada ao profissional que você é. Portanto, se você é descuidado nas mídias, publica conteúdo desorganizado, desconexo e com erros graves de português, certamente essas características serão associadas à sua atuação enquanto profissional – mesmo que você não precise escrever uma única frase em seu trabalho. Novamente: se você acha que este pode ser um problema, o ideal é contar com a ajuda de um profissional competente para gerir as suas redes e garantir que a impressão correta será passada para o seu público.

5. Vídeos podem ser uma boa

Em tempos em que as pessoas optam por receber cada vez mais informações audiovisuais, em vez dos blocos de textos, a produção de vídeos pode ser uma boa. Se for o caso, analise com cuidado a qualidade não apenas do conteúdo a ser passado, mas também a técnica de produção e edição do material. Vídeos mais “caseiros”, gravados simultaneamente pela câmera frontal do celular podem ser muito bem-vindos no stories do Instagram ou Snapchat, mas se a intenção é partir para o YouTube e se propor a criar conteúdo especializado naquele meio, a dica é ter o mínimo de profissionalismo, garantir uma boa imagem, áudio e uma edição adequada. Na dúvida, um videomaker ou um profissional especializado de mídias sociais poderá te dar o suporte necessário.

6. Construa a imagem que você quer conquistar

A dica final deve nortear toda a sua atuação nas mídias sociais: construa diariamente a imagem pela qual quer ficar conhecido. Antes de publicar ou aprovar qualquer conteúdo, verifique se ele é coerente com o perfil pelo qual busca se tornar referência. Se você acha que determinada publicação pode prejudicar ou ser irrelevante para o que quer sustentar, enquanto profissional, daqui a alguns anos, repense a necessidade de sua postagem. Às vezes, mais vale calar que criar um estigma desnecessário (e permanente) para a sua imagem.

Sobre o autor: Letra A

Assine a newsletter da Letra A e receba nossos conteúdos em primeira mão!

* indicates required

Intuit Mailchimp

O trabalho de gestão de mídias sociais é cada vez menos padronizado e mais personalizado. Trocando em miúdos, a cada dia é mais difícil divulgar estratégias gerais e se torna mais necessário conhecer bem o seu cliente e as necessidades dele para a manutenção do conteúdo.

No entanto, se você é um profissional autônomo que quer estimular a formação de uma imagem positiva nas mídias sociais, algumas dicas podem ser úteis para fazer suas redes espelharem o seu profissionalismo e não se perder nesse mundo de emojis, memes e hashtags. Lá vão:

1. Pessoal x Profissional, é possível uma fusão?

Se o seu perfil (seja ele em que mídia for) tem a intenção primária de divulgar a sua imagem enquanto profissional, aposte em conteúdo segmentado da sua área e em fotos que digam respeito à sua atuação profissional, ou seja, congressos, cursos, meetings, rotina, etc. Até está permitido postar imagens de lazer e família, mas de forma muito ocasional. Digamos, 5% a 10% de todo o conteúdo da sua página pode fazer referência à sua vida pessoal. Afinal, quem segue o profissional até gosta de conhecer a personalidade por trás, mas não faz questão de receber conteúdos de selfies contemplativos diários, por exemplo. Seja prudente.

2. Aposte em conteúdo personalizado

Sabe aquela tentação de pegar uma imagem aleatória de Dia das Mães no Google Images, inserir a logo da sua empresa usando qualquer aplicativo, e postar nas redes ou enviar para todos os clientes? Ignore. Esse tipo de atitude de reciclagem de conteúdo alheio nas mídias não agrega em nada para a sua marca. Se você vai apostar no compartilhamento de conteúdos ou mesmo na lembrança de datas comemorativas, é melhor certificar-se de que é possível produzir um material de qualidade e personalizado. A melhor ideia é buscar ajuda de uma empresa ou profissional qualificado para isso.

3. Priorize análises técnicas a opiniões polêmicas

Independentemente da sua área de atuação (a não ser que você seja político, articulista ou crítico), o ideal é sempre centrar-se nas análises técnicas de fatos que já são realidade na sua área, a divulgar opiniões aleatórias sobre temas polêmicos do cotidiano. Em um perfil profissional, os seguidores buscam confiança por meio de uma figura de referência e, ao mesmo tempo que sua opinião pessoal sobre um assunto ainda não “pacificado” socialmente pode despertar a simpatia de alguns, pode também provocar a sua morte profissional em outro nicho. Importante dizer que defender opiniões aleatórias é diferente de expor valores: se você ou sua marca é contra o racismo, a homofobia, é a favor da igualdade de gênero ou do consumo sustentável, por exemplo, não há problema em posicionar-se (quando houver a oportunidade e ela for conveniente) e deixar isso claro para os seus seguidores, afinal, se as marcas possuem personalidade e são carregadas de ideologias, por que os profissionais autônomos não o seriam?

4. Cuidado com o português!

A atenção com as regras gramaticais vai muito além do mero preciosismo linguístico. A forma como você expõe a sua imagem será automaticamente relacionada ao profissional que você é. Portanto, se você é descuidado nas mídias, publica conteúdo desorganizado, desconexo e com erros graves de português, certamente essas características serão associadas à sua atuação enquanto profissional – mesmo que você não precise escrever uma única frase em seu trabalho. Novamente: se você acha que este pode ser um problema, o ideal é contar com a ajuda de um profissional competente para gerir as suas redes e garantir que a impressão correta será passada para o seu público.

5. Vídeos podem ser uma boa

Em tempos em que as pessoas optam por receber cada vez mais informações audiovisuais, em vez dos blocos de textos, a produção de vídeos pode ser uma boa. Se for o caso, analise com cuidado a qualidade não apenas do conteúdo a ser passado, mas também a técnica de produção e edição do material. Vídeos mais “caseiros”, gravados simultaneamente pela câmera frontal do celular podem ser muito bem-vindos no stories do Instagram ou Snapchat, mas se a intenção é partir para o YouTube e se propor a criar conteúdo especializado naquele meio, a dica é ter o mínimo de profissionalismo, garantir uma boa imagem, áudio e uma edição adequada. Na dúvida, um videomaker ou um profissional especializado de mídias sociais poderá te dar o suporte necessário.

6. Construa a imagem que você quer conquistar

A dica final deve nortear toda a sua atuação nas mídias sociais: construa diariamente a imagem pela qual quer ficar conhecido. Antes de publicar ou aprovar qualquer conteúdo, verifique se ele é coerente com o perfil pelo qual busca se tornar referência. Se você acha que determinada publicação pode prejudicar ou ser irrelevante para o que quer sustentar, enquanto profissional, daqui a alguns anos, repense a necessidade de sua postagem. Às vezes, mais vale calar que criar um estigma desnecessário (e permanente) para a sua imagem.

Sobre o autor: Letra A

Postagens relacionadas

Voltar para o blog

Compartilhe

Comentários

Deixe um comentário