Sem dúvida alguma, nos últimos anos vivenciamos grandes e repentinas mudanças no contexto social e econômico em todo o mundo. E as empresas, por sua vez, sentiram fortemente este impacto, especialmente na área da comunicação interna.

Com a pandemia da Covid-19, novos protocolos sanitários e a exigência de isolamento social, o formato de trabalho e a comunicação interna na pandemia tiveram que ser repensados, enquanto todos se adaptavam ao novo cenário. 

Trabalhadores passaram a atuar em modalidade home office (o que até era uma tendência à época, mas muito tímida). Outras empresas precisaram ainda manter todos ou parte dos profissionais em formato presencial, devido ao tipo de serviço prestado. 

O grande desafio era como alinhar este contato geral, alguns em casa, outros no escritório? O que poderia substituir o mural de recados ou a TV Corporativa, por exemplo?

Comunicação e a cultura corporativa

Importante reforçar que, independente do cenário, se comunicar com a equipe não diz respeito meramente a enviar recados e demandas. Mas, esclarecer as informações e engajar todos na mesma cultura corporativa. Isto inclui ainda a divisão de tarefas, compartilhamento de arquivos, forma de lidar com os problemas e valores inegociáveis da empresa. 

Seria possível realizar isso à distância, com uma transmissão de mensagem de maneira clara e assertiva, mesmo sem o contato pessoal, dependendo apenas dos aparatos virtuais, muitas vezes considerados “frios” na comunicação?

Comunicação interna por videoconferência

Bem, a resposta é que a pandemia impeliu as empresas a se reinventarem para melhor se  comunicarem com os seus colaboradores. Com erros, acertos e ajustes no caminho? Sim. Porém, nunca foi tão importante pensar e organizar a forma de dialogar, de demandar a produtividade e envolver a equipe. 

Manter uma comunicação interna eficaz foi uma preocupação da maioria das companhias. Segundo a Associação Brasileira de Comunicação Empresarial (Aberje), em estudo realizado no ano de 2020, 83% das companhias revelaram ter seus processos de Comunicação Interna impactados pela pandemia, seguido pela Gestão de Crises e Riscos (71%) e Eventos (70%) como outras áreas atingidas.

Esta busca e inquietação permanece, pois de acordo com a Pesquisa de Tendências em Comunicação Interna para 2022, realizada pela Ação Integrada Agência de Comunicação, em parceria com a Aberje, para 70% das empresas entrevistadas o maior desafio da Comunicação Interna é engajar gestores como comunicadores. Outros desafios listados são melhorar a experiência do colaborador (58%) e gerenciar o excesso de informações (55%).

Já houve muitos avanços desde o susto inicial da pandemia e temos acompanhado uma valorização das dinâmicas e processos de comunicação. O foco deve ser criar estratégias e praticá-las, a fim de manter as equipes motivadas e unidas na realização das suas atividades, conforme o propósito da empresa. 

Canais de comunicação interna

Para uma comunicação interna de qualidade, se faz necessário dispor de canais eficientes de contato com o grupo geral e equipes. Algumas das ferramentas que podem ser utilizadas são as redes sociais corporativas e a intranet, além dos comunicados internos por e-mail, vídeos disponibilizados em diversos canais, reuniões em conferências virtuais e aplicativos de mensagens instantâneas. 

Claro que não se deve utilizar todas estas opções simultaneamente. É preciso avaliar a necessidade e definir qual melhor responde ao que é preciso. Pois o mau uso do canal pode sobrecarregar o profissional de informações, contribuindo negativamente para sua produtividade. 

Além de uma boa ferramenta, é preciso encontrar o tom e a frequência correta de comunicados. Isto pode variar de negócio para negócio. Como também, não necessariamente é preciso abandonar os antigos canais de comunicação. A depender da cultura da empresa, eles podem continuar válidos em sua eficácia.

Rápidas reuniões diárias para conferência de demandas e planejamento de atividades podem ser resolvidas utilizando plataformas online. Apesar da distância física, é interessante que a equipe tenha uma compreensão do projeto executado como um todo e não apenas da sua parte. Este encontro também pode gerar um sentimento colaborativo quando o colaborador tem a possibilidade de sugerir e propor soluções para a atividade do outro. 

Sobre aplicativos, é imprescindível:

  • Uso de um serviço de armazenamento de arquivos na nuvem;
  • Uso de ferramenta digital para acompanhamento de processos, como Trello, Notion, Asana, entre outros;
  • Canais de comunicação direta, com mensagens instantâneas. Além do popular WhatsApp, existem aplicativos específicos para o ambiente de trabalho como o Slack que também podem ser integrados;
  • Mensagens por e-mail para comunicados mais oficiosos que sejam importantes de serem passados igualmente a todos;
  • Newsletter com um conteúdo informativo, mas também leve e que proporcione reflexões conforme os valores da empresa.

Independente das estratégias de endomarketing adotadas, o bom entendimento das dinâmicas de comunicação escolhidas para a gestão de pessoas e atividades corporativas pode decorrer em uma melhor apresentação de resultados. Além de gerar mais produtividade quando o colaborador estiver envolvido na cultura corporativa.

E para você, como foram as transformações da comunicação interna durante a pandemia? Tem utilizado algumas dessas ferramentas ou planeja colocar em prática? Conta aqui nos comentários.

Sobre o autor: Daísa Alves

Assine a newsletter da Letra A e receba nossos conteúdos em primeira mão!

* indicates required

Intuit Mailchimp

Sem dúvida alguma, nos últimos anos vivenciamos grandes e repentinas mudanças no contexto social e econômico em todo o mundo. E as empresas, por sua vez, sentiram fortemente este impacto, especialmente na área da comunicação interna.

Com a pandemia da Covid-19, novos protocolos sanitários e a exigência de isolamento social, o formato de trabalho e a comunicação interna na pandemia tiveram que ser repensados, enquanto todos se adaptavam ao novo cenário. 

Trabalhadores passaram a atuar em modalidade home office (o que até era uma tendência à época, mas muito tímida). Outras empresas precisaram ainda manter todos ou parte dos profissionais em formato presencial, devido ao tipo de serviço prestado. 

O grande desafio era como alinhar este contato geral, alguns em casa, outros no escritório? O que poderia substituir o mural de recados ou a TV Corporativa, por exemplo?

Comunicação e a cultura corporativa

Importante reforçar que, independente do cenário, se comunicar com a equipe não diz respeito meramente a enviar recados e demandas. Mas, esclarecer as informações e engajar todos na mesma cultura corporativa. Isto inclui ainda a divisão de tarefas, compartilhamento de arquivos, forma de lidar com os problemas e valores inegociáveis da empresa. 

Seria possível realizar isso à distância, com uma transmissão de mensagem de maneira clara e assertiva, mesmo sem o contato pessoal, dependendo apenas dos aparatos virtuais, muitas vezes considerados “frios” na comunicação?

Comunicação interna por videoconferência

Bem, a resposta é que a pandemia impeliu as empresas a se reinventarem para melhor se  comunicarem com os seus colaboradores. Com erros, acertos e ajustes no caminho? Sim. Porém, nunca foi tão importante pensar e organizar a forma de dialogar, de demandar a produtividade e envolver a equipe. 

Manter uma comunicação interna eficaz foi uma preocupação da maioria das companhias. Segundo a Associação Brasileira de Comunicação Empresarial (Aberje), em estudo realizado no ano de 2020, 83% das companhias revelaram ter seus processos de Comunicação Interna impactados pela pandemia, seguido pela Gestão de Crises e Riscos (71%) e Eventos (70%) como outras áreas atingidas.

Esta busca e inquietação permanece, pois de acordo com a Pesquisa de Tendências em Comunicação Interna para 2022, realizada pela Ação Integrada Agência de Comunicação, em parceria com a Aberje, para 70% das empresas entrevistadas o maior desafio da Comunicação Interna é engajar gestores como comunicadores. Outros desafios listados são melhorar a experiência do colaborador (58%) e gerenciar o excesso de informações (55%).

Já houve muitos avanços desde o susto inicial da pandemia e temos acompanhado uma valorização das dinâmicas e processos de comunicação. O foco deve ser criar estratégias e praticá-las, a fim de manter as equipes motivadas e unidas na realização das suas atividades, conforme o propósito da empresa. 

Canais de comunicação interna

Para uma comunicação interna de qualidade, se faz necessário dispor de canais eficientes de contato com o grupo geral e equipes. Algumas das ferramentas que podem ser utilizadas são as redes sociais corporativas e a intranet, além dos comunicados internos por e-mail, vídeos disponibilizados em diversos canais, reuniões em conferências virtuais e aplicativos de mensagens instantâneas. 

Claro que não se deve utilizar todas estas opções simultaneamente. É preciso avaliar a necessidade e definir qual melhor responde ao que é preciso. Pois o mau uso do canal pode sobrecarregar o profissional de informações, contribuindo negativamente para sua produtividade. 

Além de uma boa ferramenta, é preciso encontrar o tom e a frequência correta de comunicados. Isto pode variar de negócio para negócio. Como também, não necessariamente é preciso abandonar os antigos canais de comunicação. A depender da cultura da empresa, eles podem continuar válidos em sua eficácia.

Rápidas reuniões diárias para conferência de demandas e planejamento de atividades podem ser resolvidas utilizando plataformas online. Apesar da distância física, é interessante que a equipe tenha uma compreensão do projeto executado como um todo e não apenas da sua parte. Este encontro também pode gerar um sentimento colaborativo quando o colaborador tem a possibilidade de sugerir e propor soluções para a atividade do outro. 

Sobre aplicativos, é imprescindível:

  • Uso de um serviço de armazenamento de arquivos na nuvem;
  • Uso de ferramenta digital para acompanhamento de processos, como Trello, Notion, Asana, entre outros;
  • Canais de comunicação direta, com mensagens instantâneas. Além do popular WhatsApp, existem aplicativos específicos para o ambiente de trabalho como o Slack que também podem ser integrados;
  • Mensagens por e-mail para comunicados mais oficiosos que sejam importantes de serem passados igualmente a todos;
  • Newsletter com um conteúdo informativo, mas também leve e que proporcione reflexões conforme os valores da empresa.

Independente das estratégias de endomarketing adotadas, o bom entendimento das dinâmicas de comunicação escolhidas para a gestão de pessoas e atividades corporativas pode decorrer em uma melhor apresentação de resultados. Além de gerar mais produtividade quando o colaborador estiver envolvido na cultura corporativa.

E para você, como foram as transformações da comunicação interna durante a pandemia? Tem utilizado algumas dessas ferramentas ou planeja colocar em prática? Conta aqui nos comentários.

Sobre o autor: Daísa Alves

Postagens relacionadas

Voltar para o blog

Compartilhe

Comentários

Deixe um comentário