Pode ser um estreante ou alguém com mais experiência diante das câmeras e microfones, todo mundo precisa de boas dicas para entrevistas na imprensa. Isso porque, de um modo ou de outro, sempre é possível se ver diante de perguntas sensíveis ou armadilhas comuns no relacionamento com os veículos de comunicação.

Seja você um empresário, gestor ou porta-voz, saber como falar sobre a pauta que o trouxe até o lugar de entrevistado faz toda a diferença, especialmente se o assunto da entrevista for polêmico, se a área de atuação for relacionada a temas delicados ou se estiver passando por uma crise de imagem.  

Nestes casos, o que faz uma entrevista ser bem sucedida é a postura do entrevistado e a habilidade de contornar a situação, a partir de uma abordagem de seu interesse

Quer aprender como se faz isso? Siga com a gente no post que vamos te mostrar passo a passo! 

1. Antes de tudo, se prepare!

Não dá para compartilhar dicas para entrevistas na imprensa sem falar sobre preparação. 

O que ocorre, com muita frequência, é que o convite chega de última hora ou de forma urgente, afinal, esse é o ritmo comum das redações de rádio, TV e impresso. Mas por mais corrido que seja, é muito importante se preparar. 

Para começar, entenda qual será a abordagem da pauta, e então defina os pontos-chave que deseja abordar. Spoiler: uma assessoria de imprensa é vital para te orientar e transmitir a segurança necessária nesta e em todas as etapas do processo.

Busque dados que podem ajudar a embasar suas respostas e lembre-se que não é estritamente necessário citá-los ou bombardear o jornalista com números. O importante é manter o foco no seu conhecimento e evitar que se desvie dos tópicos centrais. 

Você sabe com quem está falando? (sic)

Entender o contexto da entrevista, buscar informações sobre o perfil do entrevistador, o estilo do veículo de comunicação e o público-alvo também são essenciais para sair de possíveis “saias justas”. 

É o que chamamos de briefing e, aqui, mais uma vez, contar com uma assessoria de imprensa faz toda a diferença.

2. Estude para evitar gafes e situações embaraçosas 

Entre as nossas dicas para entrevistas na imprensa, não poderia faltar este alerta: falar sobre o que você não sabe ou não conhece é meio caminho andado para gafes. 

Lembre-se que entrevistas têm repercussão e, para evitar que situações embaraçosas se propaguem, pense antes de falar e, principalmente, não comente sobre assuntos que não domina

Importante: se não compreender a pergunta, não há problema em pedir para que o repórter a repita. E se a entrevista for ao vivo e a questão levantada não for a respeito do assunto pautado ou for sobre algo que você não quer falar, ofereça uma análise generalizada sobre o tema e diga que não pode comentar mais profundamente. 

3. Erros acontecem!

Peça desculpas, corrija o erro rapidamente e siga em frente. Se estiver falando para uma matéria gravada ou escrita, a assessoria de imprensa pode trabalhar para corrigir a informação antes que seja publicada. 

Consertar mal-entendidos rapidamente ajuda a manter a credibilidade e previne que pequenas questões se transformem em grandes problemas ou crises de imagem.

De maneira alguma peça para ler uma matéria antes de sua publicação. 2200

Dar entrevistas é um processo de confiança e a liberdade de imprensa deve ser respeitada neste processo. Se algo errôneo for publicado, é possível avaliar se é necessário um pedido de errata ou resposta.

dicas para entrevistas na imprensa

4. Linguagem corporal também comunica

A linguagem corporal e a expressão facial são muito importantes e, assim como as palavras, também comunicam. Neste sentido, aqui estão algumas das dicas para entrevistas na imprensa mais relevantes da nossa lista:

Mantenha uma postura aberta, com a coluna ereta. Evite cruzar os braços e faça contato visual com o entrevistador enquanto responde às perguntas. 

Olhar para a câmera também é uma boa alternativa porque cria um ponto de contato direto com a audiência. Mas atenção: não desvie o olhar para o lado ou para o horizonte. Isso pode passar a impressão de distração ou nervosismo. 

Além disso, a expressão facial deve ser condizente com o que você está falando. Sorrir enquanto fala de um assunto sério não faz sentido, não é mesmo? 

5. Sob pressão, mantenha a calma

Seja sobre um assunto corriqueiro ou um tema delicado, entrevistas na imprensa podem ser estressantes. Para ajudar a manter a calma durante o processo, respire fundo antes de cada resposta e lembre-se de falar devagar. 

Gestos controlados transmitem segurança e confiabilidade. Evite responder de forma evasiva ou utilizar gestos e palavras que possam parecer defensivos ou agressivos. 

Mesmo ao abordar temáticas que possam inflamar os ânimos ou ao lidar com um repórter mais agressivo, responda de forma educada e profissional

Perguntas difíceis são inevitáveis, principalmente em situações de crise de imagem, como citamos no início do texto. Mas nestes casos, especificamente, não aparecer para responder às perguntas da mídia é pior para a opinião pública. Lembra do caso da 123 Milhas?

Evitar confrontos e  construir sua fala sempre orientada aos pontos-chave planejados é a melhor forma de concluir sua entrevista com sucesso. Isso nos leva para a última das nossas dicas para entrevistas na imprensa.

6. Direcione a entrevista para o seus pontos-chave

Uma das melhores formas é utilizando o bridging, que faz parte da Técnica ABCD

Do inglês “Acknowledging, Bridging, Continue e Dangle” a técnica ABCD consiste em:

  • A: reconhecer e afirmar ao entrevistado que você entendeu a questão;
  • B: fazer a ponte (daí o termo bridge) com o tópico que você quer abordar;
  • C: continuar o comentário que sustenta a sua mensagem;
  • D: oferecer um novo tópico que permita que o entrevistador siga a temática que você quer destacar;

Para o bridging, use frases como “o que é importante lembrar aqui é…” ou “permita-me explicar melhor…” para guiar a conversa.

Se o repórter seguir insistindo em assuntos inadequados e a situação sair de controle, é válido sugerir continuar a entrevista em outro momento – quando mais informações puderem ser compartilhadas, por exemplo.

Apesar da pressão, é importante manter sempre uma atitude profissional e estabelecer os limites da entrevista educadamente, se necessário.

Honestidade e transparência, sempre!

Honestidade é essencial e, em caso de entrevistas, é vital. Afinal, confiabilidade é construída com transparência e evita problemas futuros para a reputação da marca ou instituição que você representa. 

Além disso, quando você é honesto e transparente, é possível construir uma relação de confiança com o jornalista e o público, mesmo em situações adversas que eventualmente vão passar.

7. Pratique bastante!

A prática leva à perfeição e também faz com que, quando chegar a hora, você esteja preparado. Treinar respostas a possíveis perguntas e gravar suas respostas é um bom caminho. Mas não tente memorizá-las para não parecer robótico. 

Simulações de entrevistas também podem ajudar a identificar áreas de melhoria e aumentar a sua confiança. E é aí que uma assessoria de imprensa pode te ajudar. 

Todas essas sugestões fazem parte dos treinamentos de mídia, ou media training, um dos serviços que oferecemos na Letra A.

Estamos prontas para ajudar você a se preparar para entrevistas, aprimorar suas habilidades de comunicação e oratória, fortalecer sua imagem e gerenciar situações delicadas com a imprensa. 

Afinal, quem melhor para te dar um feedback e vários direcionamentos do que uma equipe especializada, que lida com jornalistas diariamente? Entre em contato conosco para uma avaliação personalizada.

Sobre o autor: Ângela Bezerra

Diretora da Letra A Comunicação, Ângela Bezerra é jornalista formada pela UFRN com MBA em Marketing Estratégico e é mestra em Antropologia pela UFRN. Trabalhou como repórter na Inter TV Cabugi (afiliada da Rede Globo) por 10 anos e lecionou como professora convidada na pós-graduação em Assessoria de Imprensa da Estácio. Atua há mais de 20 anos com assessoria de comunicação.

Assine a newsletter da Letra A e receba nossos conteúdos em primeira mão!

* indicates required

Intuit Mailchimp

Pode ser um estreante ou alguém com mais experiência diante das câmeras e microfones, todo mundo precisa de boas dicas para entrevistas na imprensa. Isso porque, de um modo ou de outro, sempre é possível se ver diante de perguntas sensíveis ou armadilhas comuns no relacionamento com os veículos de comunicação.

Seja você um empresário, gestor ou porta-voz, saber como falar sobre a pauta que o trouxe até o lugar de entrevistado faz toda a diferença, especialmente se o assunto da entrevista for polêmico, se a área de atuação for relacionada a temas delicados ou se estiver passando por uma crise de imagem.  

Nestes casos, o que faz uma entrevista ser bem sucedida é a postura do entrevistado e a habilidade de contornar a situação, a partir de uma abordagem de seu interesse

Quer aprender como se faz isso? Siga com a gente no post que vamos te mostrar passo a passo! 

1. Antes de tudo, se prepare!

Não dá para compartilhar dicas para entrevistas na imprensa sem falar sobre preparação. 

O que ocorre, com muita frequência, é que o convite chega de última hora ou de forma urgente, afinal, esse é o ritmo comum das redações de rádio, TV e impresso. Mas por mais corrido que seja, é muito importante se preparar. 

Para começar, entenda qual será a abordagem da pauta, e então defina os pontos-chave que deseja abordar. Spoiler: uma assessoria de imprensa é vital para te orientar e transmitir a segurança necessária nesta e em todas as etapas do processo.

Busque dados que podem ajudar a embasar suas respostas e lembre-se que não é estritamente necessário citá-los ou bombardear o jornalista com números. O importante é manter o foco no seu conhecimento e evitar que se desvie dos tópicos centrais. 

Você sabe com quem está falando? (sic)

Entender o contexto da entrevista, buscar informações sobre o perfil do entrevistador, o estilo do veículo de comunicação e o público-alvo também são essenciais para sair de possíveis “saias justas”. 

É o que chamamos de briefing e, aqui, mais uma vez, contar com uma assessoria de imprensa faz toda a diferença.

2. Estude para evitar gafes e situações embaraçosas 

Entre as nossas dicas para entrevistas na imprensa, não poderia faltar este alerta: falar sobre o que você não sabe ou não conhece é meio caminho andado para gafes. 

Lembre-se que entrevistas têm repercussão e, para evitar que situações embaraçosas se propaguem, pense antes de falar e, principalmente, não comente sobre assuntos que não domina

Importante: se não compreender a pergunta, não há problema em pedir para que o repórter a repita. E se a entrevista for ao vivo e a questão levantada não for a respeito do assunto pautado ou for sobre algo que você não quer falar, ofereça uma análise generalizada sobre o tema e diga que não pode comentar mais profundamente. 

3. Erros acontecem!

Peça desculpas, corrija o erro rapidamente e siga em frente. Se estiver falando para uma matéria gravada ou escrita, a assessoria de imprensa pode trabalhar para corrigir a informação antes que seja publicada. 

Consertar mal-entendidos rapidamente ajuda a manter a credibilidade e previne que pequenas questões se transformem em grandes problemas ou crises de imagem.

De maneira alguma peça para ler uma matéria antes de sua publicação. 2200

Dar entrevistas é um processo de confiança e a liberdade de imprensa deve ser respeitada neste processo. Se algo errôneo for publicado, é possível avaliar se é necessário um pedido de errata ou resposta.

dicas para entrevistas na imprensa

4. Linguagem corporal também comunica

A linguagem corporal e a expressão facial são muito importantes e, assim como as palavras, também comunicam. Neste sentido, aqui estão algumas das dicas para entrevistas na imprensa mais relevantes da nossa lista:

Mantenha uma postura aberta, com a coluna ereta. Evite cruzar os braços e faça contato visual com o entrevistador enquanto responde às perguntas. 

Olhar para a câmera também é uma boa alternativa porque cria um ponto de contato direto com a audiência. Mas atenção: não desvie o olhar para o lado ou para o horizonte. Isso pode passar a impressão de distração ou nervosismo. 

Além disso, a expressão facial deve ser condizente com o que você está falando. Sorrir enquanto fala de um assunto sério não faz sentido, não é mesmo? 

5. Sob pressão, mantenha a calma

Seja sobre um assunto corriqueiro ou um tema delicado, entrevistas na imprensa podem ser estressantes. Para ajudar a manter a calma durante o processo, respire fundo antes de cada resposta e lembre-se de falar devagar. 

Gestos controlados transmitem segurança e confiabilidade. Evite responder de forma evasiva ou utilizar gestos e palavras que possam parecer defensivos ou agressivos. 

Mesmo ao abordar temáticas que possam inflamar os ânimos ou ao lidar com um repórter mais agressivo, responda de forma educada e profissional

Perguntas difíceis são inevitáveis, principalmente em situações de crise de imagem, como citamos no início do texto. Mas nestes casos, especificamente, não aparecer para responder às perguntas da mídia é pior para a opinião pública. Lembra do caso da 123 Milhas?

Evitar confrontos e  construir sua fala sempre orientada aos pontos-chave planejados é a melhor forma de concluir sua entrevista com sucesso. Isso nos leva para a última das nossas dicas para entrevistas na imprensa.

6. Direcione a entrevista para o seus pontos-chave

Uma das melhores formas é utilizando o bridging, que faz parte da Técnica ABCD

Do inglês “Acknowledging, Bridging, Continue e Dangle” a técnica ABCD consiste em:

  • A: reconhecer e afirmar ao entrevistado que você entendeu a questão;
  • B: fazer a ponte (daí o termo bridge) com o tópico que você quer abordar;
  • C: continuar o comentário que sustenta a sua mensagem;
  • D: oferecer um novo tópico que permita que o entrevistador siga a temática que você quer destacar;

Para o bridging, use frases como “o que é importante lembrar aqui é…” ou “permita-me explicar melhor…” para guiar a conversa.

Se o repórter seguir insistindo em assuntos inadequados e a situação sair de controle, é válido sugerir continuar a entrevista em outro momento – quando mais informações puderem ser compartilhadas, por exemplo.

Apesar da pressão, é importante manter sempre uma atitude profissional e estabelecer os limites da entrevista educadamente, se necessário.

Honestidade e transparência, sempre!

Honestidade é essencial e, em caso de entrevistas, é vital. Afinal, confiabilidade é construída com transparência e evita problemas futuros para a reputação da marca ou instituição que você representa. 

Além disso, quando você é honesto e transparente, é possível construir uma relação de confiança com o jornalista e o público, mesmo em situações adversas que eventualmente vão passar.

7. Pratique bastante!

A prática leva à perfeição e também faz com que, quando chegar a hora, você esteja preparado. Treinar respostas a possíveis perguntas e gravar suas respostas é um bom caminho. Mas não tente memorizá-las para não parecer robótico. 

Simulações de entrevistas também podem ajudar a identificar áreas de melhoria e aumentar a sua confiança. E é aí que uma assessoria de imprensa pode te ajudar. 

Todas essas sugestões fazem parte dos treinamentos de mídia, ou media training, um dos serviços que oferecemos na Letra A.

Estamos prontas para ajudar você a se preparar para entrevistas, aprimorar suas habilidades de comunicação e oratória, fortalecer sua imagem e gerenciar situações delicadas com a imprensa. 

Afinal, quem melhor para te dar um feedback e vários direcionamentos do que uma equipe especializada, que lida com jornalistas diariamente? Entre em contato conosco para uma avaliação personalizada.

Sobre o autor: Ângela Bezerra

Diretora da Letra A Comunicação, Ângela Bezerra é jornalista formada pela UFRN com MBA em Marketing Estratégico e é mestra em Antropologia pela UFRN. Trabalhou como repórter na Inter TV Cabugi (afiliada da Rede Globo) por 10 anos e lecionou como professora convidada na pós-graduação em Assessoria de Imprensa da Estácio. Atua há mais de 20 anos com assessoria de comunicação.

Postagens relacionadas

Voltar para o blog

Compartilhe

Comentários