Você sabe qual a função do porta-voz? Ele é a imagem e a voz da instituição, seja pública ou privada. Deve estar integrado à sua missão e aos seus valores e ter clareza sobre a importância de seu papel.

É o responsável por passar a mensagem da organização de forma clara e objetiva em pronunciamentos e eventos corporativos – tanto para o público interno, quanto externo. É também quem atende aos questionamentos da imprensa em entrevistas e coletivas. Portanto, quem ocupa esse cargo deve representar a instituição com maestria.

A função do porta-voz foi popularizada na administração pública. Depois, as organizações privadas foram se apropriando desse papel, cujas habilidades se mostraram muito úteis para a comunicação institucional. 

Esse profissional precisa ter alta habilidade para comunicação interpessoal, além de ter a vida pessoal livre de polêmicas, já que sua imagem reflete diretamente na marca que representa. 

Neste artigo, vamos nos aprofundar a respeito de qual a função do porta-voz e como a companhia pode escolher a pessoa ideal para essa posição.

Funções do porta-voz: representar e comunicar

O porta-voz é o profissional que fala em nome da marca para a mídia e atua para manter sua imagem positiva perante a opinião pública. Para isso, é necessário que esse “delegado” tenha grande conhecimento sobre a companhia e esteja sempre atualizado em relação ao seu segmento.

O dia a dia envolve, em geral, lidar com entrevistas, coletivas de imprensa, eventos corporativos, lançamentos de produtos e administrar as temidas crises de imagem. Quem ocupa esse cargo estratégico na comunicação externa deve ter um bom relacionamento com os jornalistas e ser um expert em comunicação.

Por ser uma função que lida diretamente com a reputação da marca, é recomendado que o porta-voz não aja sozinho: independente de quem ocupa esse cargo, é essencial o auxílio de uma assessoria de comunicação com um plano estratégico para guiar suas ações. 

Quer saber mais sobre como funciona a assessoria de imprensa? Leia aqui.

Quando o porta-voz é o CEO

Quem exerce a função de porta-voz costuma ser alguém em cargo de confiança e liderança. Em muitos casos essa pessoa é o próprio CEO (Chief Executive Officer), no que é chamado de CEO positioning, ou “posicionamento executivo”.

Essa é uma estratégia que contribui para a humanização da imagem da empresa, com a personificação de seus valores na figura humana de seus líderes, que também atuam com porta-vozes. Alguns exemplos são empresas de tecnologia como o Facebook, com Mark Zuckerberg, ou Elon Musk, da Tesla. 

Entretanto, isso não é regra e não significa que eles devam assumir esse trabalho sozinhos. Imagine se a cada solicitação de entrevista, o único com autoridade para falar representando a empresa fosse o presidente de uma organização? 

O chefe executivo já possui muitas demandas, então, delegar a função de porta-voz também a outros gestores do alto escalão é uma prática recomendável

A depender do tamanho da sua empresa, ela pode ter mais de um porta-voz com tarefas divididas por setor ou região. Um bom exemplo é uma universidade particular que tenha filiais em todos os estados do país. Cada gestor das unidades regionais pode ser porta-voz de suas respectivas praças. 

Como escolher o porta-voz da sua empresa

Até aqui você já percebeu que não podemos menosprezar o trabalho de quem vai representar sua organização ao lidar com a opinião pública, não é?! Atualmente, as mídias digitais importam, mas junto aos jornais impressos, portais de notícias, rádios e TVs, está a credibilidade essencial para a construção da autoridade da marca. Então, como escolher quem vai exercer essa função de porta-voz?

Diante da ausência do CEO, o porta-voz precisa ser um colaborador de alto valor hierárquico, com acesso a informações estratégicas, ou algum profissional que possa falar de um ponto de vista técnico relacionado à demanda da mídia. Aqui se encaixam advogados, engenheiros, diretores de RH, o diretor da comunicação ou o CMO, Chief Marketing Officer.

Quais as características de um porta-voz?

Para lidar com todas as possíveis situações que fazem parte do dia a dia, o porta-voz precisa ter conhecimento sobre o negócio, capacidade analítica, carisma, credibilidade, assertividade e boa comunicação.

Como falamos antes, conhecimento acerca da empresa e acesso a informações estratégicas é essencial. Os jornalistas gostam de dispor de dados e comparações de números para fundamentar a reportagem, então o porta-voz precisa saber quais dados passar e como passar.

O carisma e a credibilidade são essenciais para que o relacionamento com a imprensa corra bem. Saber quem são os repórteres que sempre cobrem o segmento, como abordá-los e o limite dessa relação amigável é essencial para que o porta-voz não cometa gafes. 

Além disso, a vida pregressa do profissional deve ser levada em consideração: a imagem do porta-voz está intrinsecamente ligada à imagem da empresa, e nenhuma corporação quer ter como representante alguém que traga escândalos consigo.

É o porta-voz quem vai estar na linha de frente da comunicação, com todos os holofotes virados para ele. Portanto, não é estratégico escolher uma pessoa que chame mais atenção do que a empresa por seus posicionamentos polêmicos.

Media training para porta-voz

Independente do cargo, o porta-voz precisa aperfeiçoar a sua comunicação oral para falar bem em situações de contato com a imprensa, manter a tranquilidade em entrevistas para amenizar crises de imagem ou até mesmo comunicar-se com um público maior, no caso de eventos corporativos. 

Depois de entender a importância do porta-voz para sua empresa, você deve estar interessado em saber como treinar alguém para essa função. Para isso, existe o media training, que ajuda a desenvolver a habilidade de comunicação de gestores e representantes que lidam com a mídia.

Nós já temos um post aqui no blog sobre o assunto. Que tal dar uma olhada? Certamente, você vai ver como é uma escolha assertiva dispor de um porta-voz muito bem preparado para lidar com a mídia e público em nome da imagem da sua organização.

Sobre o autor: Ângela Bezerra

Diretora da Letra A Comunicação, Ângela Bezerra é jornalista formada pela UFRN com MBA em Marketing Estratégico e é mestra em Antropologia pela UFRN. Trabalhou como repórter na Inter TV Cabugi (afiliada da Rede Globo) por 10 anos e lecionou como professora convidada na pós-graduação em Assessoria de Imprensa da Estácio. Atua há mais de 20 anos com assessoria de comunicação.

Assine a newsletter da Letra A e receba nossos conteúdos em primeira mão!

* indicates required

Intuit Mailchimp

Você sabe qual a função do porta-voz? Ele é a imagem e a voz da instituição, seja pública ou privada. Deve estar integrado à sua missão e aos seus valores e ter clareza sobre a importância de seu papel.

É o responsável por passar a mensagem da organização de forma clara e objetiva em pronunciamentos e eventos corporativos – tanto para o público interno, quanto externo. É também quem atende aos questionamentos da imprensa em entrevistas e coletivas. Portanto, quem ocupa esse cargo deve representar a instituição com maestria.

A função do porta-voz foi popularizada na administração pública. Depois, as organizações privadas foram se apropriando desse papel, cujas habilidades se mostraram muito úteis para a comunicação institucional. 

Esse profissional precisa ter alta habilidade para comunicação interpessoal, além de ter a vida pessoal livre de polêmicas, já que sua imagem reflete diretamente na marca que representa. 

Neste artigo, vamos nos aprofundar a respeito de qual a função do porta-voz e como a companhia pode escolher a pessoa ideal para essa posição.

Funções do porta-voz: representar e comunicar

O porta-voz é o profissional que fala em nome da marca para a mídia e atua para manter sua imagem positiva perante a opinião pública. Para isso, é necessário que esse “delegado” tenha grande conhecimento sobre a companhia e esteja sempre atualizado em relação ao seu segmento.

O dia a dia envolve, em geral, lidar com entrevistas, coletivas de imprensa, eventos corporativos, lançamentos de produtos e administrar as temidas crises de imagem. Quem ocupa esse cargo estratégico na comunicação externa deve ter um bom relacionamento com os jornalistas e ser um expert em comunicação.

Por ser uma função que lida diretamente com a reputação da marca, é recomendado que o porta-voz não aja sozinho: independente de quem ocupa esse cargo, é essencial o auxílio de uma assessoria de comunicação com um plano estratégico para guiar suas ações. 

Quer saber mais sobre como funciona a assessoria de imprensa? Leia aqui.

Quando o porta-voz é o CEO

Quem exerce a função de porta-voz costuma ser alguém em cargo de confiança e liderança. Em muitos casos essa pessoa é o próprio CEO (Chief Executive Officer), no que é chamado de CEO positioning, ou “posicionamento executivo”.

Essa é uma estratégia que contribui para a humanização da imagem da empresa, com a personificação de seus valores na figura humana de seus líderes, que também atuam com porta-vozes. Alguns exemplos são empresas de tecnologia como o Facebook, com Mark Zuckerberg, ou Elon Musk, da Tesla. 

Entretanto, isso não é regra e não significa que eles devam assumir esse trabalho sozinhos. Imagine se a cada solicitação de entrevista, o único com autoridade para falar representando a empresa fosse o presidente de uma organização? 

O chefe executivo já possui muitas demandas, então, delegar a função de porta-voz também a outros gestores do alto escalão é uma prática recomendável

A depender do tamanho da sua empresa, ela pode ter mais de um porta-voz com tarefas divididas por setor ou região. Um bom exemplo é uma universidade particular que tenha filiais em todos os estados do país. Cada gestor das unidades regionais pode ser porta-voz de suas respectivas praças. 

Como escolher o porta-voz da sua empresa

Até aqui você já percebeu que não podemos menosprezar o trabalho de quem vai representar sua organização ao lidar com a opinião pública, não é?! Atualmente, as mídias digitais importam, mas junto aos jornais impressos, portais de notícias, rádios e TVs, está a credibilidade essencial para a construção da autoridade da marca. Então, como escolher quem vai exercer essa função de porta-voz?

Diante da ausência do CEO, o porta-voz precisa ser um colaborador de alto valor hierárquico, com acesso a informações estratégicas, ou algum profissional que possa falar de um ponto de vista técnico relacionado à demanda da mídia. Aqui se encaixam advogados, engenheiros, diretores de RH, o diretor da comunicação ou o CMO, Chief Marketing Officer.

Quais as características de um porta-voz?

Para lidar com todas as possíveis situações que fazem parte do dia a dia, o porta-voz precisa ter conhecimento sobre o negócio, capacidade analítica, carisma, credibilidade, assertividade e boa comunicação.

Como falamos antes, conhecimento acerca da empresa e acesso a informações estratégicas é essencial. Os jornalistas gostam de dispor de dados e comparações de números para fundamentar a reportagem, então o porta-voz precisa saber quais dados passar e como passar.

O carisma e a credibilidade são essenciais para que o relacionamento com a imprensa corra bem. Saber quem são os repórteres que sempre cobrem o segmento, como abordá-los e o limite dessa relação amigável é essencial para que o porta-voz não cometa gafes. 

Além disso, a vida pregressa do profissional deve ser levada em consideração: a imagem do porta-voz está intrinsecamente ligada à imagem da empresa, e nenhuma corporação quer ter como representante alguém que traga escândalos consigo.

É o porta-voz quem vai estar na linha de frente da comunicação, com todos os holofotes virados para ele. Portanto, não é estratégico escolher uma pessoa que chame mais atenção do que a empresa por seus posicionamentos polêmicos.

Media training para porta-voz

Independente do cargo, o porta-voz precisa aperfeiçoar a sua comunicação oral para falar bem em situações de contato com a imprensa, manter a tranquilidade em entrevistas para amenizar crises de imagem ou até mesmo comunicar-se com um público maior, no caso de eventos corporativos. 

Depois de entender a importância do porta-voz para sua empresa, você deve estar interessado em saber como treinar alguém para essa função. Para isso, existe o media training, que ajuda a desenvolver a habilidade de comunicação de gestores e representantes que lidam com a mídia.

Nós já temos um post aqui no blog sobre o assunto. Que tal dar uma olhada? Certamente, você vai ver como é uma escolha assertiva dispor de um porta-voz muito bem preparado para lidar com a mídia e público em nome da imagem da sua organização.

Sobre o autor: Ângela Bezerra

Diretora da Letra A Comunicação, Ângela Bezerra é jornalista formada pela UFRN com MBA em Marketing Estratégico e é mestra em Antropologia pela UFRN. Trabalhou como repórter na Inter TV Cabugi (afiliada da Rede Globo) por 10 anos e lecionou como professora convidada na pós-graduação em Assessoria de Imprensa da Estácio. Atua há mais de 20 anos com assessoria de comunicação.

Postagens relacionadas

Voltar para o blog

Compartilhe

Comentários

Deixe um comentário